GREVE DOS TRABALHADORES VIDREIROS DA SANTOS BAROSA

Nos próximos dias 22, 23 e 24 de Março os trabalhadores da empresa vidreira SANTOS BAROSA, na Marinha Grande, realizam uma greve, em cada turno, pelo aumento dos salários e pela melhoria das suas condições de trabalho, de acordo com a proposta reivindicativa apresentada.

Entre os objectivos está o aumento dos salários em 3,5%, do subsídio de refeição e do subsídio de laboração contínua para 25%, calculado sobre o valor da remuneração mínima estabelecida para o grupo 8, ao qual está afecto o maior número de trabalhadores.

Os trabalhadores da Santos Barosa, do grupo Vidrala, pedem também a redução do horário de trabalho de todos os trabalhadores para 35 horas semanais, 25 dias úteis de férias para todos os trabalhadores, o direito ao dia de aniversário, “considerando-o como folga adicional”, a implementação de uma pausa adicional de 10 minutos, para lanche, e a criação do prémio de assiduidade e de diuturnidades a cada cinco anos, para valorização da antiguidade dos trabalhadores.

Na declaração subscrita pela federação e STIV é reclamado também à empresa dedicada ao vidro de embalagem o “pagamento de prémios de produção diários a todos os trabalhadores da secção da fabricação” com valores equivalentes aos praticados na secção da fabricação na Gallo Vidro, outra unidade do grupo Vidrala, também sediada na Marinha Grande.

Entre outras reivindicações, os trabalhadores exigem o pagamento do prémio de Natal e passagem de ano de igual forma para todos os trabalhadores, sem critério de assiduidade, e que seja retomado “o pagamento dos subsídios de alimentação e prémios de produção dos trabalhadores por turnos da forma como era processado anteriormente”, além da “igualdade salarial para todos os trabalhadores de todas as secções onde há diferenças salariais”.

 

This website is protected by DMC Firewall!